Tablets invadem as grandes corporações

Desenvolvimento inteligente, otimização garantida, soluções moldadas para seu negócio.

Tablets invadem as grandes corporações

22 de março de 2011 Tecnologia 0

Segundo pesquisas, as empresas devem comprar 50 vezes mais tablets em 2011 em relação ao ano passado. Os novos dispositivos, aos poucos, estão se tornando tão comuns quanto os notebook e netbooks em grandes corporações.
A notícia acompanha o discurso de fabricantes de tablets como a Apple, que acaba de lançar o iPad 2 cheio de recursos adicionais. Os concorrentes também se preparam para o aumento das vendas no setor e programam para 2011 o lançamento de modelos mais finos, com mais recursos e maior competitividade no mercado.

Entretanto, a notícia coloca a Micrsoft em situação difícil. De acordo com a Bloomberg, a companhia só deve lançar um sistema para tablets em 2012 , e entra na briga de forma tardia.

A previsão de aumento nas vendas é da Canalys, que realiza pesquisas de mercado no Reino Unido. Segundo os dados levantados, as empresas que compraram cerca de 20 mil tablets (em sua maioria iPads) em 2010, podem elevar o número de unidades compradas para 1,1 milhão neste ano. O que representa um aumento de 5.000% nas vendas, aponta o Business Insider .

A Canalys ainda prevê um pequeno aumento da aquisição de netbook por empresas, que salta de 1,5 milhão para 1,8 milhão. Os notebooks tradicionais tem previsão de alta de 11% nas vendas, o que representa 96 milhões de computadores vendidos rodando Windows ainda este ano.
Entretanto, a própria Microsoft, mais uma vez, fica em situação difícil com a concorrência. A Canalys prevê que a Apple e seus concorrentes vendam mais de 50 milhões de tablets este ano (200% mais que em 2010), contra 32 milhões de netbooks (com alta de 14% nas vendas) e 113 milhões de notebooks (com alta de 5%).
Para a Canalys, a cada dois tablets vendidos em 2011, um deles deve substituir a venda de um netbook ou de um laptop tradicional.

Fonte: O Globo.

 

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.